ARTE DE FRONTEIRA: SIGNIFICAÇÕES DE ARTISTAS POPULARES LATINO-AMERICANOS

Paulo César Antonini de Souza

Resumo


Este trabalho compartilha as bases teóricas do projeto de pesquisa com o mesmo nome, apresentado à Universidade Federal de Mato Grosso do Sul que visa a alcançar, desde Ponta Porã e Pedro Juan Caballero na relação Brasil/Paraguai, Corumbá e Puerto Quijarro na interface Brasil/Bolívia, em diálogo com as capitais desses três países, traços de uma expressão estética simbólica do meio de ser, viver e compreender o mundo, na qual artistas populares que criam, comercializam ou expõem em espaços públicos de suas cidades, realizem-se enquanto seres da experiência nos seus processos educativos/criativos. Nesta pesquisa, pretende-se desvelar características pedagógicas nas práticas sociais desses artistas, com o intuito de somar elementos para a constituição de uma pedagógica desde a América Latina para a América Latina. Na perspectiva de uma pesquisa de cunho qualitativo, o projeto se apresentará metodologicamente mediado pela fenomenologia (MERLEAU-PONTY) na modalidade fenômeno situado (JOEL MARTINS), em entrevista com artistas populares. Atualmente em fase de levantamento teórico, as primeiras inserções em campo encontram-se projetadas até o mês de dezembro deste ano.

Texto completo:

PDF

Referências


- Vol. 2: Circuitos de arte na América Latina e no Brasil. São Paulo: Editora 34, 2006. 424 p.

ARANHA, Carmen S. G. Exercícios do olhar: conhecimento e visualidade. São Paulo: UNESP; Rio de Janeiro: Funarte, 2008. 112 p.

BARBOSA, Ana Mae. Dilemas da Arte/Educação como mediação cultural em namoro com as tecnologias contemporâneas. In: ______. (Org.). Arte/Educação contemporânea: consonâncias internacionais. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2005. p.98-112.

BICUDO, M. A. V. Sobre fenomenologia. In: BICUDO, M. A. V.; ESPOSITO, V. H. C. Pesquisa qualitativa em educação: um enfoque fenomenológico. Piracicaba: UNIMEP, 1994. p.13-25.

BOGDAN, Robert C.; BIKLEN, Sari K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 2013. 336 p.

BRANDÃO, Carlos R. A cultura na rua. Campinas: Papirus, 1989. 219 p.

CANCLINI, Néstor G. ¿De qué hablamos cuando hablamos de resistencia? Estudios visuales, v.7, n.7, p.16-37, Jan. 2010. Disponível em: . Acesso em: 05 dez. 2014.

CANCLINI. Néstor G. Ni Folklórico ni masivo ¿Qué es lo popular? Diálogos de la comunicación, n. 17, Felafacs, Lima, 1987. p.1-8

CAVALCANTI, Maria Laura V. C.; VILHENA, Luís R. P. Traçando fronteiras: Florestan Fernandes e a marginalização do Folclore. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 3, n. 5, p.75-92. 1990. Disponível em: < http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2296>. Acesso em 25 abr. 2015.

DUSSEL, Enrique. Para uma ética da libertação latino-americana III: erótica e pedagógica. São Paulo: Loyola; Piracicaba: UNIMEP. 1977. 281 p.

ESCOBAR, Ticio. Cuestiones sobre arte popular. Asunción – Paraguay: Portal Guarani, 2013. Disponível em: < http://www.portalguarani.com/106_ticio_escobar/8453_cuestiones_sobre_arte_popular__por_ticio_escobar.html>. Acesso em: 05 dez. 2014.

FETTER, Bruna. Arte contemporânea: vale o quanto custa? In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS: Ecossistemas estéticos, 22, 2013, Salvador. Anais... Belém: ANPAP;PPGARTES/ICA/UFPA, 2013. p.265-278.

FREIRE, Paulo. À sombra desta mangueira. 8. ed. São Paulo: Olho d’Água, 2006. 120 p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 15. ed. Notas de Ana Maria Araujo Freire. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008. 245 p.

FREIRE, Paulo; Ira Shor. Medo e Ousadia: o cotidiano do professor. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986. 224 p.

FROTA, Lelia C. Pequeno dicionário da arte do povo brasileiro: século XX. Rio de Janeiro: Aeroplan, 2005. 440 p.

GATTI, Bernadete A. A construção da pesquisa em educação no Brasil. Brasília: Líber Livro Editora, 2007. 87 p.

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. 6. ed. Tradução de Márcia S. C. Schubark. Petrópolis, TJ: Vozes, 2012. 1200 p.

HEIDEGGER, Martin. Ser-no-mundo como ser-com e ser-si-mesmo. O “a gente”. In: ______. Todos nós... ninguém: um enfoque fenomenológico do social. São Paulo: Moraes, 1981. p.25-56.

MACHADO, Ozeneide V. M. Pesquisa qualitativa: modalidade fenômeno situado. In: BICUDO, Maria Ap. V.; ESPOSITO, Viviane H. C. Pesquisa qualitativa em educação: um enfoque fenomenológico. Piracicaba: UNIMEP, 1994. p.35-50.

MARTINS, Joel; BICUDO, Maria Ap. V. A pesquisa qualitativa em psicologia: fundamentos e recursos básicos. 5. ed. São Paulo: Centauro, 2005. 110p.

MARTINS, Mirian C. (Org.). Mediação: provocações estéticas. São Paulo: Universidade Estadual Paulista – Instituto de Artes. Pós-graduação, 2005. 143p.

MERLEAU-PONTY, Maurice. A ciência e a experiência da expressão. In: ______. A prosa do mundo. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Cosac & Naify, 2002. p. 29-69.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. 3. ed. Tradução de Carlos Alberto R. de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 2006. 672 p.

MERLEAU-PONTY, Maurice. O olho e o espírito: seguido de A linguagem indireta e as vozes do silêncio e A dúvida de Cézanne. Tradução de Paulo Neves e Maria Ermantina Galvão Gomes Pereira. São Paulo: Cosac & Naify, 2004. 168 p.

OLIVEIRA et. al. Maria W.; SILVA, Petronilha B. G.; GONÇALVES JUNIOR, Luiz; GARCIA-MONTRONE, Aida V.; JOLY, Ilza Z. Processos educativos em práticas sociais: reflexões teóricas e metodológicas sobre pesquisa educacional em espaços sociais. In: REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO (ANPED): Sociedade Cultura e Educação - novas regulações, 32, 2009, Caxambu, Anais... Caxambu: ANPED, 2009. p.1-17. Disponível em: . Acesso em: 05 dez. 2014.

OSTROWER, Fayga. Criatividade e processos de criação. 23. ed. Petrópolis: Vozes, 2008. 188 p.

PAREYSON, Luigi. Os problemas da estética. Trad. Maria Helena Nery Garcez. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 246 p.

ROSA, Maria G. S. Artes plásticas em MS e identidade cultural. In: ROSA, Maria G. S.; DUNCAN, Idara; PENTEADO, Yara. Artes plásticas em Mato Grosso do Sul. Campo Grande: M.G.S. Rosa, I. Duncan, Y. Penteado, 2005. p.15.

SOUZA, Paulo C. A. O mundano e o promíscuo na arte latinoamericana: a prática social de pintores populares, 2014. 320f. Tese (Doutorado em Educação). Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.

TALON-HUGON, Carole. A estética: história e teorias. Lisboa: Edições texto & grafia, 2008. 105p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN (Impresso): 1517-9257

ISSN (Eletrônico): 2448-1165

Papéis - Revista do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens

Centro de Ciências Humanas e Sociais

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul