DO PÓS-DRAMÁTICO COMO FORMA UMA LEITURA DE SUSUNÉ DE CAROLINA VIRGÜEZ

Lívia Santos Souza

Resumo


O presente trabalho tem como corpus o espetáculo teatral Susuné, encenado e escrito pela atriz colombiana Carolina Virgüez a partir do volume de contos da também colombiana Amalialú Posso Figueroa (2001) Vean vémis nanas negras. Na obra, que mistura ao livro adaptado fatos da vida da atriz e da escritora, são abordados temas como identidade, raça, gênero e memória, a partir de uma estrutura profundamente fragmentada e identificada como o que Lehmann (2011) descreve como pós dramático.  Dessa forma, interessa a esse artigo refletir como o pós-dramático configura uma ferramenta formal poderosa para a elaboração do espetáculo


Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Zygmunt. A modernidade líquida. Rio de janeiro: Zahar, 2005.

BECKER, Howard. 2009. Falando da sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar editor.

FIGUEROA, Amalialú Posso. Vean vé, mis nanas negras. Bogotá: Brevedad, 2001.

LEHMANN, Hans-Thies. O teatro pós-dramático. Cosacnaif: São Paulo, 2011.

SUSUNÉ, contos de mulheres negras (texto completo) Contos de Amalialú Posso Figueroa e dramaturgia de Emanuel Aragão


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN (Impresso): 1517-9257

ISSN (Eletrônico): 2448-1165

Papéis - Revista do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens

Centro de Ciências Humanas e Sociais

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul